8 de outubro de 2019

Azaléia – A flor da vibração do feminino em equilíbrio

A força da delicadeza e a generosidade do que é justo traduzidos em uma só flor.

Vamos começar a imaginar uma pessoa que segure a onda no tempo de seca, que caminhe em solo que não forneça os nutrientes necessários para a sua sobrevivência emocional, mas ainda assim emana calma, beleza e alegria.

É claro que ela é cheia de vida, ativa, alegre e os sentimentos em seu peito são abundantes e cabe para todos. Não curte gente muito molenga, cheia de “não me toques”, pois ela é assertiva e gosta de um “eu te amo” bem firme e claro, não gosta de rodeios e um “gosto muito de você” não lhe é suficiente, pois costuma dizer que gostar muito a gente gosta de café, banana, chocolate…  Portanto, um “gosto muito de você” ela adora ouvir quando vem de amigos, conhecidos e até de seus colegas de trabalho.

E quando é preciso deixar claro que não gosta de algo, não há hipótese de meias palavras, porém sem gritos ou ofensas. Ela apenas é honesta consigo mesma e por este motivo, as pessoas são presenteadas com a mesma honestidade.

Ela é o tipo de pessoa que apesar de exuberante, há momentos em que se recolhe e  todos pensam que está alheia, imaginam que esteja triste, mas na verdade é tudo especulação. Ela está quieta concentrando forças e energias de criação.

A pessoa Azaléia é surpreendente, quando todos estão recolhidos, é exatamente nesse momento que ela aparece com toda sua exuberância, trazendo ânimo para os ambientes, a exemplo da flor, que, enquanto as outras estão vivenciando o “inverno”, secas, apagadas, ela floresce colorindo as árvores, ruas, jardins e aos  nossos olhos, comunicando uma onda de esperança.

Ela adora o sol e é exposta à sua luz, com a qual se alimenta de cores e forças para sobreviver. Precisa de luz solar e de limpeza. Não gostam de ambiente sujo.

Ela é forte e tem poder de crescimento, justamente porque antes de florir, quem a vê, não lhe dá valor, tampouco se sente ameaçado. Parece “a patinha feia” das flores, pois vê-se, apenas aquilo que ela mostra: um arbusto seco. O que ninguém sabe é que ela está ali se alimentando do solo ao qual está acostumada, não reivindica  muita água, e segue seu rumo armazenando luz.

Tal luz é tão necessária quando tudo parece sombrio, frio e desalentador. É exatamente nesta época, do inverno que ela floresce trazendo alento, alegria e esperança.

Na mitologia grega ela é associada à Deusa Minerva, da sabedoria, mas também da guerra; da temperança e do equilíbrio.

Seu óleo essencial é algo de sublime, pois tem a habilidade de conectar mente e coração para que possam trabalhar em sintonia. Isto se dá tendo em vista à expansão de nossos sentimentos, trazendo clareza, devido à reconexão do indivíduo consigo mesmo. Ela comunica e une pessoas e sentimentos, fazendo tudo fluir para em direção aos caminhos pertencentes a cada um.

Sua energia yin é reconfortante, protetiva e trabalha o auto-amor e a autoestima, o que faz dela poderosa fonte de alegria, conforto emocional, segurança e fé, como a flor que armazena a luz solar.

Seja em sua forma mais sutil, como o Floral Azaléia do Sistema Alquímico Joel Aleixo, que atua diretamente no nível no campo energético, estimulando sonhos, tendo resultados na área comportamental, tendo em vista sua evidente ação no campo emocional, seja no nível mais denso na forma de óleo essencial, ambos agem contra o luto, a tristeza e a depressão de forma extremamente eficaz.

Quando fazemos analogia entre pessoas e plantas não estamos apenas utilizando uma forma de exemplificar com símbolos, estamos ressaltando as potencialidades olfativas e vibracionais, de uma forma mais compatível com a vibração e delicadeza das plantas – a poesia.

Fotos: Tarot das Flores Joel Aleixo – ilustração do corpo sutil da Azaléia

Timothy Dykes – Unsplash

Artigo escrito por Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é perfumeterapeuta com experiência na elaboração de perfumes personalizados segundo o equilíbrio dos 4 Elementos. Seu trabalho define-se como "Aromaterapia e Espiritualidade.

Comentários

Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é professora de inglês por formação e aromaterapeuta por vocação. Escolheu dentre todas as possibilidades que a Aromaterapia apresenta, elaborar perfumes personalizados como item de “cuidados pessoais”. Para tal utiliza diversas ferramentas de investigação energética e emocional, fazendo anamnese profunda e testes olfativos. Dentre tais ferramentas podem ser encontrados a Carta Natal do cliente, o estudo dos setênios ou a leitura de oráculos com abordagem alquímica. Todos os produtos são elaborados com ervas e óleos essenciais da melhor qualidade, sem quaisquer aditivos químicos.

E-mail para contato