18 de setembro de 2018

Benjoim – para aqueles que se sentem órfãos de algo

Benjoim o óleo da Conciliação - Unir as polaridades, cicatrizar as feridas.

Nada mais indicado para o momento que estamos vivendo em nosso país. As pessoas estão à deriva em busca de uma tábua de salvação, que supõem ser através de um ou outro candidato que faça o papel de “salvador da pátria, literalmente.

Ocorre que o processo pelo qual passamos requer discernimento, cabeça no lugar, seriedade e principalmente clareza de quem somos. Sim, é mais importante o autoconhecimento, quais os seus valores do que conhecer a vida, o que pensa ou deixa de pensar um político.

Até porque eles estudam o que o povo “precisa ouvir” para poder vender seu peixe. “O que o povo precisa?” pergunta o político aos seus pesquisadores. Estes respondem: “comida barata”. Assim, o político chega com o discurso pronto e você acredita. Por que? Por carência! É verdade, carência. No nível físico e emocional.

É claro que não se trata de política o nosso artigo e sim de como nos colocamos diante das situações, e principalmente o que leva determinadas pessoas a buscarem um pai, um guru, um salvador. Ficam sideradas, completamente em transe focadas nas palavras de “seu salvador.” Tornam-se radicais, perdem-se de quem são, esquecem obrigações, educação, ética e até negligenciam filhos, parceiros e trabalho.

Acontece que a princípio julgamos logo e colocamos nesses indivíduos um rótulo de radicais, podendo apelar um pouco e chamá-los de burros e ir descendo o nível ao ponto de tornarmo-nos, também nós mesmos, agressivos. Arrogância é a tônica do momento.

Lamentavelmente é o que está acontecendo em nosso país. Não estamos falando de política, embora seja o que pensamos estar fazendo. A palavra tem origem no grego politikos, que vinham a ser aqueles cidadãos interessados e comprometidos com os assuntos da polis – cidade. Eram conhecidos por colocarem os problemas da cidade ou estado acima de seus próprios interesses pessoais.

Alguém aí acha que isso acontece? Acha? Que legal! Você ainda mantém fé na humanidade e isto é bom. Sim. É bom desde que você mantenha “um olho no padre e outro na missa”. Quando você perde amigos, larga seus filhos, amigos, parceiros e fica na internet xingando quem pensa diferente de você, lamento informar: “você está doente da alma e precisa de um pai ou de uma mãe.” Está se sentindo solitário na multidão, se sente incapaz de arcar com suas obrigações e quer que alguém cuide de você. Precisa acreditar nisso e não vê o resto. Você está colocando a solução e a responsabilidade pela sua vida na mão de terceiros!

Estamos vendo seitas e não partidos. As pessoas seguem cegamente, discutem como se eles mesmos fossem. Precisam que o guru tome conta deles e os salvem. Na verdade, acham que precisam.

Por isto disse que o autoconhecimento é importante. Assim, vendo a si próprio, você poderá fortalecer-se, encontrar seus talentos e colocá-los a serviço; você precisa assumir responsabilidades pela sua vida e não é tarefa do Estado muitas das coisas que pensamos ser.

Ou melhor, ainda que seja, e o Estado não faça, ficar reclamando e vociferando por detrás de uma tela não resolverá problema algum. Ao invés de cindir, devemos unir.

Por isso o óleo essencial indicado no momento é benjoim. Este é o óleo da Conciliação. Ele ajuda o indivíduo a ir buscar a própria verdade. No nível físico ele vem a tratar infecções urinárias, bronquite, asma, todas as enfermidades que demonstrem força de vontade deficiente, letargia e medo da vida. A pessoa quer mudar e não tem forças – ou melhor,  acha que não tem.

Para momentos em que o indivíduo sente-se sozinho, sem alento,  portanto, com medo. Ele sente que precisa ser cuidado, clama por um abraço, uma palavra amiga, um cafuné.

O benjoim traz em si a energia morna de um calor humano, tem a doçura, a calma e segurança de uma avó que coloca o netinho no colo e ele imediatamente para de chorar, dormindo como um anjinho. É a segurança que só o amor daquela avó de braços fortes, colo aconchegante e seios fartos para o bebê encostar sua cabeça, tem.

O benjoim une as pontas. Não seria disso que precisamos no nosso país nesse momento? Segurança, cicatrização, união das polaridades? O país é um só e os políticos – não como os gregos que deram origem a palavra -, se vão e jamais saberão quem somos, jamais pronunciarão nosso nome, não facilitarão nossa vida em nada, a não ser que você sejamos seus parentes próximos ou alguém de sua confiança. Ainda assim pode ser arriscado…!

Sugiro que juntemos  as nossas pontas em nós mesmos, que cicatrizemos nossas feridas, curemos nossos medos. Não existem “salvadores da pátria”. O que existe e você conhece, é você mesmo por sua conta. Você e seus amigos que hoje você bloqueou na rede social; você e seu parceiro ou parceira que acabaram de discutir por causa do candidato A e B. Ah… eu disse candidato? Não, para vocês eles são gurus e vocês são guris carentes.

Vamos lá, levante a cabeça, cuide de si mesmo, acredite que as coisas podem mudar e que seja a partir de você mesmo. Somos multiplicadores de idéias e não de ódio. Você quer esse papel lamentável?

O óleo essencial de benjoim diluído em álcool de cereais – 6 gotas para 120 ml de álcool – é… o óleo é bastante resinoso e isto basta. Depois de misturar, se possível coloque uma gota de óleo de rosa ou gerânio apenas para amplificar o alcance energético e faça uma chuva no ambiente. Se não tiver, sem problema algum, o importante é o benjoim.

Ih… não tem o óleo? Basta ir à uma loja de produtos religiosos e comprar a resina para defumação. Triture-a com um pilão, ou até o martelinho da cozinha, que seja. Junte o resultado em álcool de cereais e deixe em infusão. Seria ótimo que ficasse por pelo menos 7 dias, que fosse feito na lua adequada, mas é urgente! Não temos muito tempo. Faça já!

Aspergir pela casa, pelo escritório, imagine nosso país sendo curado, unindo as partes, cicatrizando suas feridas, apagando as competições, os ódios e trazendo a cura de todos nós. Faça uma oração. Visualize uma chuva dourada. Veja as gotas como curativas caindo sobre todos nós.

É possível. Sim, desde que você faça a sua parte e se veja como indivíduo independente, capaz de fazer a diferença em sua própria vida, que é sua responsabilidade, e não do “guru” da vez. Não siga nem A nem B, siga o fluxo de seu desejo. O que você pode fazer por você?

Nota: eu iria escrever sobre a Personalidade Olfativa, mas esse texto se impôs. Volto ainda essa semana com o assunto completo.

Artigo escrito por Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é perfumeterapeuta com experiência na elaboração de perfumes personalizados segundo o equilíbrio dos 4 Elementos. Seu trabalho define-se como "Aromaterapia e Espiritualidade.

Comentários

Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é professora de inglês por formação e aromaterapeuta por vocação. Escolheu dentre todas as possibilidades que a Aromaterapia apresenta, elaborar perfumes personalizados como item de “cuidados pessoais”. Para tal utiliza diversas ferramentas de investigação energética e emocional, fazendo anamnese profunda e testes olfativos. Dentre tais ferramentas podem ser encontrados a Carta Natal do cliente, o estudo dos setênios ou a leitura de oráculos com abordagem alquímica. Todos os produtos são elaborados com ervas e óleos essenciais da melhor qualidade, sem quaisquer aditivos químicos.

E-mail para contato