26 de outubro de 2011

O sândalo e sua magia

Um óleo essencial que nos ensina a abraçar sem medo, nos liberta para mergulhar nos braços de quem confiamos e queremos bem.

Remete à terra e ao espiritual, trazendo uma sensação de limpeza nesse aspecto. Um segredo para realmente aproveitar esse aroma é sentí-lo com os olhos fechados, desta forma tem-se a dimensão de seu poder e qualidades sobre o espírito. É um aroma do Oriente.

Ele une dois aspectos importantes, o prazer físico e o espiritual. Tem o poder de fazer a união das energias do chacra básico com o coronário, assim sendo, ajuda na subida da energia, passando por todos os outros centros energéticos, equilibrando-os com seu caráter harmonizador.

No Oriente é muito usado para transformar o prazer sexual em uma experiência mística, através do sexo tântrico, pois além de ter função afrodisíaca, traz segurança.

Tem efeito direto no hemisfério direito do cérebro, facilitando a intuição, a criatividade e o contacto com as emoções. É o aroma da serenidade e da sabedoria, pois favorece o contacto do indivíduo consigo mesmo, ajudando-o a perceber quem verdadeiramente é, de forma doce e suave.

É um aroma que fortalece o EU, afastando o medo, a agressividade e a depressão. Para aqueles que têm dificuldade na esfera sexual por medo de se lançar em um relacionamento, ele faz excelente trabalho, por seu caráter estabilizador.

Para falar de óleos essenciais de forma compreensível, opto por apresentar um exemplo concreto para ilustrar melhor minhas afirmações. Assim,  contarei o caso de um cliente, digamos que seu nome seja Yan. Um homem maduro que acabara de sair de seu terceiro casamento, levando consigo uma frustração imensa por sentir-se incapaz de doar-se o suficiente, já que o motivo do rompimento com sua terceira mulher havia sido o mesmo que o do primeiro e do segundo – uma queixa de não estar por inteiro no relacionamento, de não entregar-se, mantendo um relacionamento afetivo de forma burocrática.

Com a separação, ele ficou paralisado, já que as três mulheres utilizaram quase que as mesmas palavras para justificar a impossibilidade de manter o relacionamento.  A situação agravou-se ao perceber que seus filhos partilhavam da mesma queixa da mãe, e no trabalho as pessoas o acusavam de ser muito simpático e agradável, porém superficial. Ele é professor de filosofia e muito admirado por seus alunos, principalmente pelas alunas, de uma competência inquestionável, elogiado pelos colegas e pela direção da universidade.

Enfim, com o final do terceiro casamento juntou todas estas observações e tentou encontrar dentro de si o que era verdadeiro, queria saber o que ele mesmo sentia a seu respeito, como se via e tentou fazer isto sem condescendência. Porém sejamos francos, esta é uma tarefa difícil para qualquer ser humano, pois podemos com isso cair na armadilha do contrário – acharmo-nos terríveis, darmos razão aos nossos “acusadores” e sermos infiéis a nós mesmos.

E foi assim que conheci Yan. Fui atendê-lo em um restaurante próximo à universidade onde ainda leciona – chegou sorridente, apresentou-se e contou sua história sem parar, como se não quisesse me dar tempo de fazer perguntas – entendi a dica e nada perguntei. Apenas fiz o teste com os aromas com a condição pré-estabelecida de que não me diria se gostava ou não – a única coisa que teria que fazer seria me dizer a primeira palavra que lhe viesse à mente ao contacto com cada um dos treze frascos com os óleos essenciais.

Minha vez de contar a estória, e não deu outra: óleo essencial de sândalo. Mais do que impressionado com a capacidade de um frasquinho contar a história por detrás da história que ele havia me contado, ele ficou emocionado.

A partir daquele momento começava uma nova fase na vida de Yan, e isto não quer dizer que ele tenha mudado, ao contrário, posso dizer que ele se recuperou, se achou de volta, podendo entender como havia feito aquele percurso. A boa notícia é que oito meses depois ele “re-casou” com a segunda esposa, se pacificou com a primeira e com a terceira e recuperou o afeto e admiração dos filhos.

Desta minha experiência com Yan ficou uma frase que acredito ilustrar bem o que o óleo essencial de sândalo pode fazer. Ele me disse o seguinte: “hoje eu realmente sei abraçar as pessoas que amo, não é apenas um ato corriqueiro – é um mergulho nos braços de quem queremos bem, é uma verdadeira entrega”.

Pode parecer estorinha de novelas ou conto de fadas, ou ainda que eu seja criativa ao ponto de inventar “milagres”, mas isto se deve ao poder do óleo essencial de sândalo e ao comprometimento dele em enfrentar a si mesmo, e à responsabilidade e disciplina com que enfrentou o trabalho de auto-recuperação.

Vamos saber a razão disso. O sândalo é o óleo da estrutura emocional, pois propicia que o hemisfério direito do cérebro se manifeste, não permitindo a tirania do intelecto – do hemisfério esquerdo. Além disso, tem a capacidade de fazer a reconexão com nosso ser primordial, realinhando a tríade corpo, mente, espírito, o que ajuda a restabelecer uma melhor aceitação da realidade.

Na esfera espiritual é muito fácil compreender a razão pela qual esse óleo ajuda a nos sentirmos protegidos, e não é só por seu aroma balsâmico e levemente doce, o que por si só já seria confortante. Vejamos a árvore para compararmos: é uma hemiparasita, sendo ela mesma ajudada pelas outras árvores à sua volta a se alimentar com seus nutrientes e com as quantidades de água necessárias para que cresça, floresça e tenha vida longa.

Ainda assim, ela não mata as árvores, o que ocorre é um retardamento no crescimento destas parceiras, o que por sua vez, propicia que vivam mais tempo, pois seu ciclo de vida se estica. Isto tudo é obra da própria Natureza que providencia e gerencia todos esses ciclos de vida. O resultado é uma vida longa e produtiva para a árvore de sândalo, produzindo grandes quantidades de óleos essenciais, que são retiradas do centro do tronco.

Desta forma, podemos inferir a razão pela qual o sândalo nos ajuda nestas funções de proteção, conexão e prosperidade, talvez como ato de gratidão.

(Publiquei no site STUM em 17.10.2011)

Artigo escrito por Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é perfumeterapeuta com experiência na elaboração de perfumes personalizados segundo o equilíbrio dos 4 Elementos. Seu trabalho define-se como "Aromaterapia e Espiritualidade.

Comentários

Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é professora de inglês por formação e aromaterapeuta por vocação. Escolheu dentre todas as possibilidades que a Aromaterapia apresenta, elaborar perfumes personalizados como item de “cuidados pessoais”. Para tal utiliza diversas ferramentas de investigação energética e emocional, fazendo anamnese profunda e testes olfativos. Dentre tais ferramentas podem ser encontrados a Carta Natal do cliente, o estudo dos setênios ou a leitura de oráculos com abordagem alquímica. Todos os produtos são elaborados com ervas e óleos essenciais da melhor qualidade, sem quaisquer aditivos químicos.

E-mail para contato

Formulário

Sua opinião é muito importante para nós. Envie uma mensagem através do nosso formulário abaixo.