22 de janeiro de 2019

Tendências entre 20 e 26 de janeiro de 2019: Doenças ou amigas?

Atender os sinais do corpo e seus códigos pode ser a Alquimia que salva.

Mal o ano começa e traz com ele as mazelas. Mas seriam reais mazelas?

Nesse período começaremos a perceber que nossa maior amiga voltou para nos visitar. Sim! A doença é uma grande amiga da gente. Pois toda doença nos proporciona uma percepção maior de nós mesmos. Ela sempre estará a serviço do amor.

Ao longo da vida, aprendemos a sentir pena de nós mesmos e com isso, vamos acumulando sujeiras em nosso corpo, para que um dia essa sujeira se transforme em pedido de socorro em forma de doença.

Esse momento, começaremos a perceber o quanto o desanimo voltou a se restabelecer. A falta de fé em nós mesmos, volta com força e tudo parecerá ter mais uma vez estagnado ou até mesmo regredido. Mais uma vez estamos criando oportunidade de termos pena de nós mesmos. E os próximos passos, vem nossa amiga nos visitar. Essa doença provavelmente tem sobrenome. Seja ele medo, solidão, indulgência , rigidez, falta de amor, preconceito, entre muitos outros. 

Já percebeu se essa sua amiga que veio te visitar, não está dando a oportunidade de resolver esse sobrenome que tanto te acompanha por anos?

Uma vez, certa fada boazinha com todos, começou a ter caroços em seu corpo e não tão rapidamente investigou e descobriu algo bem grave que poderia se espalhar em outros órgãos e até mesmo leva-la ao fim de sua vida de fada. Mas como poderia? Uma fadinha tão boa com os outros, doente?

Essa fada levou a vida a transformar meninas borralheiras em princesas desejadas por todos. Também curou todos os animais abandonados pelas ruas. Mas ao longo da vida, se escondeu nessa figura bondosa e alada. Mal sabia ela, que abdicou de sua felicidade durante anos, preterindo sua vida amorosa, esquecendo de cuidar de suas filhas fadas e deixando de exercer a palavra amor. Mas não bastava ser boa com os outros?

O que ela não percebia, era que ao transformar as feias em princesas, fez com que elas fossem individualidades especiais, para se tornarem padrões impostos e sem nenhum tipo de expressão. Não viu que curando os animais, ficou mais fácil ainda abandoná-los, pois todos achavam que eles não sofreriam e na verdade, acabavam padecendo por falta de carinho.

O que ela não percebeu é que toda sua ação de bondade com os outros, escondia na verdade um pedido de carinho. Ela queria na verdade era se sentir especial por príncipes e outros. Seu desejo era se sentir cuidada.

E mais do que de repente, sua pele mostrou o desgosto de ser feia e a necessidade de cuidados. A atenção que ela tanto queria e mascarava em atos de bondade, agora se transformou em um pedido escancarado de “olhem por mim”. A pena dela própria se transformou em doença e em seguida de aprendizado em pedir amor.

Nada na vida cura mais que amor. Nos cura, nos transforma e cura o mundo.

Aprendam a verbalizar que querem amar e ser amados para que nossa amiga doença, não precise fazer isso por nós.

A vida é feita de escolhas e o momento é de escolher o quanto mais teremos pena de nós mesmos ou verbalizar coisas simples, como o amor.

Aproveitem a forte tendência energética de reconexão com a fé e a espiritualidade. Percebam que tudo está ao nosso alcance e que qualquer que seja o obstáculo, se transforma em nada, quando temos a certeza da força que nos habita.

Percebam o amor! 

AMOR sempre!

Exercício: Antes de dormir, deixar um copo de água na cabeceira, fazer sua oração e pedir a revelação em sonho, o que nossa amiga doença vem nos alertar. Ao acordar, beba a água como cura energética e emocional.

O.E.– Capim limão – lemongrass – este é um óleo essencial escolhido com o propósito de chamar atenção mesmo: usar em concentrações mínimas, se possível menos de 1% e no aromatizador diluído em álcool de cereais. Ficará um aroma sutil. E sutil é tudo o que este óleo essencial não éDigamos que ele seja uma mulher fada. Ela chega, diz a que veio, bota banca, impõe limites e só se aproxima dela quem ela permite. Ela cuida sim das pessoas, mas de quem ela quer, ouve com atenção, fala o que acredita deva ser falado, mas não repete. Respeita o tempo emocional do outro, não paparica porque não tem paciência. Enquanto isso, vai à praia, academia, trabalha, namora e seu momento zen não é uma meditação passiva – ela faz meditações dinâmicas, mantras, yoga e no final de semana vai dançar. Seu chakra laríngeo é muito bem desenvolvido e ela faz o que quer. A “sua verdade?” Não! Ela tem várias, porque considera hipóteses e sabe que o mundo evolui. Diz que não há uma unica verdade. Ela tem sim, essência definida. Verdade fechada? Não, pois diz que está em evolução, por isso pode cuidar, entender, respeitar e voltar para sua vida com a consciência de ter feito o melhor. Esta é a fada capim limão.

Artigo escrito por Marcelo Barroca

Marcelo Barroca Assertividade. Intuição. Humanidade. Assim se caracteriza seu trabalho como Oraculista. Tradução de símbolos arquetípicos com a marca de quem ama e respeita o que faz.

Comentários

Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é professora de inglês por formação e aromaterapeuta por vocação. Escolheu dentre todas as possibilidades que a Aromaterapia apresenta, elaborar perfumes personalizados como item de “cuidados pessoais”. Para tal utiliza diversas ferramentas de investigação energética e emocional, fazendo anamnese profunda e testes olfativos. Dentre tais ferramentas podem ser encontrados a Carta Natal do cliente, o estudo dos setênios ou a leitura de oráculos com abordagem alquímica. Todos os produtos são elaborados com ervas e óleos essenciais da melhor qualidade, sem quaisquer aditivos químicos.

E-mail para contato