6 de abril de 2018

Uma vacina para o corpo e para a alma

Momento de levantar o tapete e olhar o que está embaixo sem susto. Varrer, limpar e arrumar a casa. Nada mais a esconder.

Você já se deu conta de que há momentos em que apenas cuidar do ambiente externo não é o suficiente? Já reparou que arrumar a casa para receber visitas colocando tudo dentro dos armários e a sujeira embaixo do tapete pode ter consequências?

Vamos supor, apenas para argumentar, que você fez isso. Vem uma visita e você acha que a aparência da casa está ótima. Você ali, todo se achando, e vem um vento forte, levanta o tapete e toda a poeira que ali estava escondida vem direto na sua cara e pior, na de sua ilustre visita.

Isso acontece a todo o momento com o nosso corpo e nossa alma. “Nossa, como você está elegante!”; “Desta vez você emagreceu lindamente!”; “Onde você comprou essa bolsa?”; “Qual o nome do seu personal?”

Ok, tudo beleza, nada contra. Estamos belos. Mas chega aqui num cantinho comigo, só nós dois, juro que não conto pra ninguém: “A quantas andam suas emoções?” Como você está em relação, por exemplo… uhm… ao medo?

Nem venha me dizer que sua fé é inabalável, porque até acredito, mas quando vem um impacto, ela tira folga e aí vem o medo, puxa a cadeira, se ajeita e te conta histórias antigas da sua vida e da de terceiros, e você se vê, com toda a razão para ter medo. As assombrações chegam com tudo!

O acúmulo dessas histórias já se tornou quase uma entidade, está lá confortável, você hoje convive com dores nos rins, inflamações geniturinárias, mas que toma um remédio, melhora… passa… e você toca a vida pra frente, até….  pois é, o próximo gatilho para “a entidade” vir te assombrar! Já faz parte da família? Ah, não! Pode parar com isso, e agora!

Aquela ansiedade que não te larga, (ou será que é você que não a larga?), tanto assim que que você já até a chama de “minha ansiedade”, e troca ideia com os amigos na mesa do bar como é a “sua” ansiedade, seus gostos e horários. Aprende que seus amigos têm as “deles” também, e pior, quando se dá conta, “aprendeu” mais uma coisa: os sintomas da ansiedade alheia, mais um ponto para a sombra! Você vai deixar? Não brinca! Claro que não! Xô preocupação, culpa e controle! Exorcize já!

A dor no estômago causada por excesso de letrinhas que não conseguiram se encontrar pra formar as palavras que precisam ser ditas. Algumas palavras tiveram força, se formaram, mas entraram em conflito com outras, e foram para o “setor ansiedade”.

Outras temeram se juntar em harmonia para resolver digerir de uma vez por todas aquelas engolidas inteiras, a seco e ficaram no “setor medo”.

Verdade..  a dor de garganta… o hipotireoidismo… as palavras engasgadas ali, se rearranjaram e encolheram… – setor medo e ansiedade.

Estamos falando de um assunto só – ansiedade é um subproduto do medo e da preocupação. Um momento!

Por favor, é hora de harmonizar, de tomar o elixir da coragem para criar o ambiente em que elas possam enfim se juntar para expressar  sua alma, já que você não é apenas seu corpo.

O Momentum no Planeta não está para amadores, e se estamos aqui, precisamos fazer algo e rápido, cada um por si para se fortalecer e ajudar a quem está do lado colocar sua máscara do avião. A nós cabe colocar a nossa para podermos nos salvar da turbulência, da iminência de pane na aeronave ou o que seja.

Temos as condições dentro de nós, basta focar, fixar nossos olhos para dentro em busca de soluções, forças, e a lembrança de nossa origem Cósmica.

Para isto, temos um recado recebido de lá mesmo, de um Amigo Espiritual, e aqui vai.

A vacina para a alma:

Em 1 conta gotas pela metade de álcool de cereais (se não tiver, serve conhaque, whisky..), misture: 

1 xícara de chá de uma rosa branca fresca, faça bem forte – use pouca água;

 3 gotas do óleo essencial de cipreste

3 gotas do óleo essencial de limão

2 gotas do o.e. de ylang ylang

Faça isto dentro de um um vidro escuro (âmbar) de 60 ml.

Nessa ordem: o álcool, os óleos essenciais, o chá de rosas.

Repita dentro dessa mistura o  Salmo 121 em atitude de reverência. Peça, dando comandos com verbos no infinitivo: Curar, acreditar, proteger, fortalecer, confiar.

Isto feito, com o frasco na vertical, bata 120 vezes (é… vai doer o braço, mas vale o esforcinho) repetindo um mantra, uma oração, o salmo, os verbos acima, aquilo que lhe ocorrer.

Claro, por favor, caso você não tenha estes ingredientes em casa, nem possibilidades de os adquirir, não desanime.

Faça com o chá de rosa branca  fresca ; rale a casca do limão, visualize, imagine, crie na sua tela mental o ylang ylang (foto para ajudar – olhe para ela e feche os olhos em atitude sagrada); o cipreste você achará na feira – só um pedacinho basta– o ervateiro ou vendedor de flores pode até nem te cobrar, é só um galhinho.

Com o chá feito, imagine os ingredientes que você não tem no plano físico, fale o nome deles e peça que produzam os efeitos dentro do frasco, assuma a atitude de reverência e o procedimento pode ser feito como acima descrito para os óleos essenciais.

Jogue o spray na cabeceira e nos pés da sua cama à noite e pela manhã nos seus próprios pés e nuca.

A razão disto, acreditamos não precisar explicar, pois todos estamos sentindo. Apenas lembramos que o cipreste e o limão são desintoxicantes linfáticos no nível físico.

O cipreste no nível espiritual e emocional é para a sensação de perda, de luto, de tristeza, é contra o medo de mudanças na vida sobre as quais não temos controle. Ele sai varrendo as toxinas, dando fluxo, colocando as coisas em seus devidos lugares.

O ylang ylang é contra medos, síndrome do pânico e traz um pouco de doçura ao momento emocional que estamos vivendo. A rosa ajuda a harmonizar e a aumentar a vibração da sinergia.

Maiores detalhes sigam os links aqui: cipreste,  ylang ylang   ou rosa.  Se quiserem, entrem em contacto, ok?

Quanto às técnicas de visualização, ativação dos comandos das ervas, fluidificação da água e chás, etc, caso tenham interesse, é só fazer contacto conosco, pois em breve abriremos inscrições para Oficina de sutilização e ativação das ervas.

Artigo escrito por Marcelo Barroca

Marcelo Barroca Assertividade. Intuição. Humanidade. Assim se caracteriza seu trabalho como Oraculista. Tradução de símbolos arquetípicos com a marca de quem ama e respeita o que faz.

Comentários

Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é professora de inglês por formação e aromaterapeuta por vocação. Escolheu dentre todas as possibilidades que a Aromaterapia apresenta, elaborar perfumes personalizados como item de “cuidados pessoais”. Para tal utiliza diversas ferramentas de investigação energética e emocional, fazendo anamnese profunda e testes olfativos. Dentre tais ferramentas podem ser encontrados a Carta Natal do cliente, o estudo dos setênios ou a leitura de oráculos com abordagem alquímica. Todos os produtos são elaborados com ervas e óleos essenciais da melhor qualidade, sem quaisquer aditivos químicos.

E-mail para contato

Formulário

Sua opinião é muito importante para nós. Envie uma mensagem através do nosso formulário abaixo.