26 de agosto de 2017

Eu sou o óleo essencial que você precisa agora!

O faxineiro da alma limpa a sujeira ancestral, investiga cada canto e de lá só sai quando pode levar água abaixo tudo o que lhe faz mal.

“Pareço pequeno, mas sou grande, pareço raso, mas sou profundo, pareço frágil, mas minha  força vital é impressionante.  Minhas cores são brilhantes, porém mostro a escuridão que há nas profundezas das relações humanas. Este é meu dom.

Tento, faço força e quando você não me ouve, forço a barra e trago à tona na marra aquilo que você não quer ver, a lágrima que você engoliu, e dor que você sentiu, mas não curou.

Ela é curável, mas o acesso a ela e à sua causa primordial é através de uma ferida profunda, portanto você evita, prefere a dor no joelho, a dor no estomago ou aquela dor na coluna, quem sabe? A dor que vem e vai como se tivesse a chave da casa, tal sua intimidade.

Se assim você não quiser, posso providenciar problemas respiratórios, gripes, sinusites e tantos outros “ites” que nem gosto de mencionar.

Faço isso em respeito a você, porque mencionar sua dor não aguenta, dá voltas, gira, e quando vê,  está dando as costas para a dor da alma, preferindo ferir o corpo.

Ah… por isso decido ir para a base de seu pulmão onde carregas as dores do mundosim do mundo, sua dor ancestral e de seus antepassados. Todas pesando ali, tão confortáveis e há tanto tempo, que parece ser a própria casa delas. Não é! Esta é a boa notícia.

Dói o corpo hoje, mas amanhã você decide que tudo passará e passa. Mas não quero te desanimar, você precisa de mim, pois vou buscar nas suas profundezas aquilo que você evita. É minha função.

Aceita-me, estou aqui para você e farei o meu trabalho com perfeição. Deixa-me ajudá-lo, me dê sua mão.

Não! A culpa não é dos seus pais, sua tampouco. Isso, sinto informar, não existe!

A culpa é a dor que não damos nome e não enfrentamos, por isso, colocamos do lado de fora, e quando a engolimos, acreditamos nela, ela se apossa da sua emoção e do seu corpo, deixando-o totalmente desconfortável consigo mesmo. Você assume a culpa. Como curar o inexistente?

A base de seu pulmão está em um lugar que você não vê e é difícil olhá-la até no espelho, portanto ali a dor se instala e fica tanto tempo que você pensa ser sua, que faz parte de você.

Por favor, se assim é, assuma que ela não pertence a uma pessoa só, não queira bancar o herói e carregá-la sozinho.

Você precisa de mim e aqui estou. Assuma que precisa de mais alguém, pois eu me apresento para trabalhar, mas não disfarce, encha-se de confiança e peça a alguém que pegue algumas gotas de meu sangue, misture em um creme fresco, esquente as mãos e amorosamente massageie a base de seus pulmões.

Entregue-se a si mesmo, feche os olhos e receba-me em sua corrente sanguínea, estou pronto para realizar o meu processo de cura. Faça uma oração em agradecimento por deixar ir as dores do mundo.

Eu faço meu trabalho. Você fará o seu?

Não me apresentei desde o início, pois estava falando de algo escondido. Eu sou o óleo essencial de gerânio, tenho a energia úmida e fria, portanto mercurial. Venho curar seus pensamentos recorrentes, suas dores repetitivas, suas emoções que esfriam a alma e escorrem pelo nariz e pelos olhos.

Faço meu trabalho com facilidade porque conheço, sou semelhante.

Sabe a depressão, a ansiedade, a culpa, a fragilidade, a letargia, a falta de fé? E a vontade de desistir?

Ih… conheço todas elas e sei como lidar. Faço-as enfileirarem-se e entrar no seu sistema linfático, e desintoxico seu corpo e sua alma. Não se engane, vou lhe incomodar um pouquinho, mas deixarei a “casa limpa”.

Se acaso você chorar, fique à vontade, faça com força, mas faça de uma vez, olhe-se no espelho e veja como a dor é feia – sim, aquela que estava escondida nos seus pulmões.

Seu coração ficará mais leve, sua força se recuperará, sua mente clareará e você enfim poderá atuar no mundo da forma que é. Sem culpa, apenas ciente de que a Vida provê e a partir de agora você fará o que é possível para ter-se de volta. Culpa? Não existe. Quem existe é você e portanto, assuma-se! Seu coração tem cores inimagináveis. Veja-o!

Abra a boca e o fogo que queimava seu estômago, aquelas inflamações que moravam dentro de você, sairão como fogo, forjando em palavras aquilo que precisava ser dito, desobstruindo todos os canais. Melhor que suas palavras queimem os ouvidos de quem precisa ouvir, e conhecer quem você é e do modo como se sente do que queimar-lhe por dentro.

Estou à disposição com outros amigos que eventualmente me dão uma grande ajuda nesse trabalho. Como vê, eu também preciso daquela mão amiga. Falando nisso, pedi a sua mão, dê-me a esquerda, vou ajudá-lo! Com a direita, pegue as chaves de volta e não permita mais que a dor faça morada em você.

Abra as portas para a vida e para o amor, principalmente aquele mais difícil de admitir, por si mesmo.”

Artigo escrito por Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é perfumeterapeuta com experiência na elaboração de perfumes personalizados segundo o equilíbrio dos 4 Elementos. Seu trabalho define-se como "Aromaterapia e Espiritualidade.

Comentários

Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é professora de inglês por formação e aromaterapeuta por vocação. Escolheu dentre todas as possibilidades que a Aromaterapia apresenta, elaborar perfumes personalizados como item de “cuidados pessoais”. Para tal utiliza diversas ferramentas de investigação energética e emocional, fazendo anamnese profunda e testes olfativos. Dentre tais ferramentas podem ser encontrados a Carta Natal do cliente, o estudo dos setênios ou a leitura de oráculos com abordagem alquímica. Todos os produtos são elaborados com ervas e óleos essenciais da melhor qualidade, sem quaisquer aditivos químicos.

E-mail para contato

Formulário

Sua opinião é muito importante para nós. Envie uma mensagem através do nosso formulário abaixo.