20 de agosto de 2020

Me tornei meu cultivo

A Cura está na essência - o segredo é conhecê-la.

Ainda me chamavam de brotinho quando fui arrancada da presença de minha mãe. E com ela, abandonei minhas referências de amor e proteção. Aprendi que dependia de mim, e o quanto eu precisava me defender da vida. Aos poucos, cresci na companhia fria e dura como um tronco de uma árvore, que nada me representava. Longe dos meus, longe de qualquer presença que identificasse minha origem.

Tornei-me forte e com cara de brava. Passei a ser chamada de Chifre de Veado, pois debaixo de tanta fragilidade, havia um visual de perigo que afastava tudo e todos. Mas como aparentar doce se nada aprendi sobre doçura. No fundo o que mais queria era ter minhas referências ilustradas.

Nasci de um amor proibido entre minha mãe e meu pai que nunca conheci. Todos diziam que eu me parecia demais com ele, mas na verdade, tentei de todas as formas me parecer com minha mãe. Ela era meu exemplo de sobrevivência, luta e perseverança. Guardou dentro dela até morrer o nome de seu amado, meu pai. Mesmo que tivesse que ver em mim, sua aparência todos os dias. Mas eu era considerada a mais linda da família. Minha aparência não negava minha fidalguia, tanto que me chamavam de Renda Francesa. O que ninguém sabia, era que de meu pai herdei a beleza, mas pela minha mãe, aprendi a me magoar facilmente e fazer de mim, uma grande mentira.

Ainda pequena ouvi de minha mãe que poderia ser admirada por muitos e tocada por poucos. Sexualidade era um tabu na família, já que minha mãe era muito religiosa e devota. Poderiam até julgá-la por uma aceitação quase que ignorante. Passei a achar que tudo era destino ou vontade de Deus. Mesmo sendo amada, pouco recebia carinho, pois um toque a mais e o pecado se estabelecia. Dentro dos pecados, passei a ter a gula, comi até ser notada por todos. Eu era a fofa e querida de todo o quarteirão. Todos me admiravam, mas não podia ser notada em nenhuma outra conotação. Assim, ganhei tamanho. Me chamam de Avenca e somente para o meu corpo guardei minhas emoções.

Exemplo de mulher era minha mãe. Ainda jovem e comigo pequena, se separou de meu pai. Passou a exercer o papel masculino e feminino da família. Era referência de todos e sempre apontada como imagem de sucesso. E como não seguir este exemplo? Me tornei cópia fiel de sua aparência, jeito e força. Todos que a nós conheciam, repetiam: “não nega que é filha de quem é”. Aprendi a gostar desse brilho solar, desse destaque que a mim creditavam. Embaixo de tanta exuberância, também repeti os erros de minha mãe. Casei-me nova, tive filha cedo e logo me separei. Ninguém conseguiu ocupar ao meu lado a posição de companhia. Mas era fácil me emocionar, era fácil mostrar ao mundo que debaixo de tanta exuberância havia noites de lágrimas que derramei ao ver o destino se repetindo em minha filha. E assim, logo fui apelidada de Chorona.

Minha família é perfeita. Meus pais sempre tiveram ao meu lado. Minha mãe, meu maior amor na terra. Protegia-me, aconselhava-me, amava-me, tanto que facilmente se tornou minha melhor amiga. Era tudo que eu sempre quis, viver nesse ambiente de amor e proteção. Nada me faltou, muito menos carinho. Eu era a Mini. Pequena em tamanho, e imatura em comportamento. Nunca quis crescer, pois sabia que se me tornasse maior, perderia a minha grande amiga, minha mãe. Só não haviam me ensinado que um dia ficaria sozinha e poderia então, não sobreviver. Precisei de cuidados e adoeci, pois sentido não encontrei mais.

Muito obrigada, querida mamãe! De você ganhei a vida e dela fiz o que aprendi. Não poderia ser diferente do que você é, muito menos aprender o amor sem você como primeiro exemplo. Da fragilidade à fortaleza, da escassez à exuberância, de você me tornei SAMAMBAIA.

Óleo Essencial: Gerânio – ( Pelargonium graveolens)

 Nível físico – descongestionante linfático; para sintomas da menopausa; contra dores reumáticas;

Nível emocional – contra ansiedade crônica; ameniza sentimentos de raiva e frustração; combate a sensação de emergência que persegue os perfeccionistas; permissão para o prazer físico. Ser feliz sem culpa.

Nível Energético – propicia criatividade; imaginação, intuição – traz a liberação do fluxo energético por todo o corpo físico e energéticos. Liberdade para ser quem somos. Permissão para o prazer da existência.

Articulista: Constelador Familiar Marcelo Barroca

Consultas online com hora marcada 

Artigo escrito por Marcelo Barroca

Marcelo Barroca Assertividade. Intuição. Humanidade. Assim se caracteriza seu trabalho como Oraculista. Tradução de símbolos arquetípicos com a marca de quem ama e respeita o que faz.

Comentários

Valéria Trigueiro

Valéria Trigueiro é professora de inglês por formação e aromaterapeuta por vocação. Escolheu dentre todas as possibilidades que a Aromaterapia apresenta, elaborar perfumes personalizados como item de “cuidados pessoais”. Para tal utiliza diversas ferramentas de investigação energética e emocional, fazendo anamnese profunda e testes olfativos. Dentre tais ferramentas podem ser encontrados a Carta Natal do cliente, o estudo dos setênios ou a leitura de oráculos com abordagem alquímica. Todos os produtos são elaborados com ervas e óleos essenciais da melhor qualidade, sem quaisquer aditivos químicos.

E-mail para contato